quarta-feira, 27 de julho de 2011

#02

Certo? não digo
se eu explico é
enfado a mim a
ti amor
a ti eu tenho.


quarta-feira, 20 de julho de 2011

Aniversário

Romeu diante da porta, debaixo de chuva bem forte, eu diante do carro mediante ordem sua, com o guarda-chuva, a fim de proteger da tromba d'água o querido Mike. Demorei um pouco para conseguir abrir a porta de casa, e Romeu não entrou atrás de mim, falava alto, eu ensopava a sala toda entrando daquele jeito. Ajeitei Mike na estante, ao lado de um porta retrato que está vazio há alguns anos. Voltei e peguei Romeu no colo, fomos até o banheiro, para a água quente. Então pediu que eu preparasse um chá. Infelizmente os sachês de chá de menta acabaram, mas há leite e... nunca falta chocolate nessa casa, ele complementou ao se entrometer na minha fala. Sim, Capitão! E continência da mão e postura. Pedi que ele não demorasse. Coloquei leite para esquentar. Busquei panos de chão e tentei secar as poças de água espalhadas pela casa. Já não vestia o tênis, o casaco, e calça. A preguiça me levou a simplesmente colocar os panos onde havia deixado molhado. Romeu riu ao me ver de cueca e camiseta. Riu pronto, vestido com sua bela fantasia de menino-ninja segurando meu tapa-olho de pirata nas mãos. Romeu e sua habilidade vulgar de me deixar sempre em dúvida, de parecer sempre saber de tudo antecipadamente. Ele correu e eu briguei com ele, escorregar nos panos, não mesmo, sou um ninja habilidoso. Ele estava elétrico, vestindo aquilo que eu espero que ele ainda pense ser o seu presente de aniversário. No banho imaginei as crianças todas correndo como ele, dentro de casa numa gritaria incessante, aborrecidas com toda a chuva e ao mesmo tempo animadas, molhando, sujando todo o tapete persa da sala, o sagrado presente da nova sogra. As paredes no fim da noite teriam manchas marrons, originadas dos esbarrões das crianças sujas de lama correndo pelos corredores. E se Romeu já soubesse, a supresa da festa à fantasia surpresa, pensada tão cuidadosamente por Alice, não haveria.
Vesti minha roupa de pirata, chapéu, tapa olho, um resto de figurino chinfrim à pirata caribenho. Coloquei Mike no ombro, Romeu constatou sério, ele não é um papagaio. Tirei Mike do ombro fui até o carro, coloquei Mike na poltrona de Romeu para finalmente retornar a Romeu e o acompanhar até o carro. Me senti bem sucedido quando Romeu perguntou surpreso do porquê estarmos parados na frente da casa da sua mãe. Sorte minha ele não ter perguntado dos muitos carros estacionados ao redor. É seu aniversário, é claro que ela quer te ver. Fomos até a porta de entrada. Pedi para ele levar Mike, e o levou no colo. Ele apertou a campainha da porta.
Morgana atendeu. Abraçou Romeu, levou ele ao colo, então o largou e me beijou o rosto, envolvendo-me primeiro em um abraço leve e longo. Estavam na sala os velhos amigos e os parentes de Alice. O abraço de Morgana durou Romeu receber os parabéns de Oliver, da irmã de Alice, Sofia, e seu marido, Davi, e finalmente do segundo pai, Marcelo. Nenhum deles fantasiados. Senti que Morgana estava com pena de mim. Sofia também me deu um abraço longo, percebi o quanto ela havia crescido, um abraço de amigos de infância. Davi nos abraçou e me deu um beijo no rosto. Um gesto como se eu ainda fosse da família de Alice. Romeu estava no colo de Marcelo, eles entraram na sala de jantar, Oliver me pegou pela mão, não queremos perder a cara de surpresa de Romeu. Por certo não. Sofia segurou na minha outra mão, Romeu terá um primo, então tive que a abraçar, logo depois, abracei Davi, queremos que tu sejas o padrinho, enquanto o "surpresa" era falado em uníssono do outro lado da casa. Perguntei quantos meses, fazia pouco, passaram 5 semanas que o planejado bebê havia sido concebido. Alice veio nos cumprimentar, e eu inadvertidamente a cumprimentei, olá, titia Alice, e ela me olhou como se não soubesse de nada. O olhar meio de lado, franzindo a testa de leve, e a boca ligeiramente crispada, ela se virou para Sofia, mas foi Davi quem anunciou: estamos grávidos. O olhar de censura que Alice lançava para Sofia desviou para Davi, também esboçando um certo desdém. Romeu tinha vindo atrás de Alice, e ela resolveu usá-lo como escudo. Tens um primo a caminho. Ou prima, completei. Agachei e pedi para Romeu pegar algo para eu beber, ele pediria uma bebida de adulto para o Marcelo, cerveja em lata. Antes do seu retorno, eu pedi à Alice que fosse um pouco mais educada com a irmã dela e a todos que me desculpassem pelo pequeno erro de antecipação. Alice ia se defender com alguma ironia dirigida a mim. Fui mais rápido, e cruel, não seja amarga. Alice abraçou Sofia, foi um abraço longo daqueles que parecem ótimos, mas foi frio e sem vontade. Romeu chegou com a cerveja nesse momento e reclamou que queria abrir os presentes. Pedi para ele falar com Sofia antes. Finalmente cumprimentei Marcelo, ele tentou uma piada gestual, a do tipo que presta um tipo de elogio e o faz de forma zombeteira, e afinal eu ri, forçando um sorriso no qual eu supunha debochar dele pela piada ruim, guerra de adultos. Vi que Oliver tinha Mike nas mãos, enquanto me apresentava aos pais das outras crianças, eu o pirata cervejeiro. Havia muitos batmans, e achei extraordinário eles não serem repetidos, preto, cinza e preto, cinza e amarelo, preto e amarelo, azul e cinza. As meninas em usuais vestidos de princesas. Outra hora eu iria desabafar para Morgana, é uma festa de fantasia, essas meninas são tratadas sempre como princesas, é roupa do dia a dia. Como se você não tratasse Romeu como uma criança ninja. Romeu quis mais uma vez abrir os presentes, embora soubesse que só poderia fazê-lo depois da festa. Até esqueceu de Mike. Oliver, que ficou de babá da criaturinha branca, ao me ver passar, me convidou para um passeio, uma viagem ao interior, com visitas e praia. Disse para levar Romeu e que Morgana iria. Assim, seria fácil convencer Alice de levar o menino. Contei que eu havia estado lá quando Romeu era pequeno, e que tinha saudades do Nicolas. Fazia quase cinco anos, lembro porque o Mateus estava junto, e eu era um recém divorciado. Mas vocês não se casaram, Oliver insistiu, o que exatamente você sabe sobre estar casado Oliver? Foi então que ele me contou que estava namorando. Davi nos interrompeu, para me contar novamente que eu seria o padrinho, a criança nem tinha nome, mas ele brincou dizendo que se fosse menino poderia ser Mercucio. Eu aconselhei que não, pois sabia que Sofia entraria facilmente na onda.
Em algum momento, alguns batmans decidiram que o pirata era um arqui-inimigo, a chuva tinha parado e eu corri como nunca pelo quintal alagado de Alice. Eu e mais alguns meninos sujos nos tênis e nas calças. Romeu observou de dentro de casa. Assim como Alice, os pais não acharam tão divertida a brincadeira. Alice quis me proibir de entrar sujo, mas teria que proibir os outros meninos. A sala na entrada ficou com pegadas de barro, nada sério, nada muito sujo, umas marquinhas, enquanto os meninos levavam bronca dos pais encontrei cumplicidade no olhar de um deles. Viu o Romeu? Balancei a cabeça para pergunta de Alice, ela foi olhar lá fora. Eu tirei os sapatos, subi as escadas. Romeu organizava seus presentes. Perguntei o que tinha acontecido, ele demorou, mas respondeu que queria abri-los. Não havia um presente aberto. E por que não abriu? Ele pegou um pacote pequeno que era uma caixa envolta por um laço - o presente que eu havia comprado para ele - e entregou para mim. Qual a graça de se abrir presentes sozinho?