segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Mordi a língua

Eu não sei precisar o quão assustador foi - bastante? - porque para mim foi.  Paixão tem um quê de assustador. Hoje é só pesadelo, embora eu tenho acordado.
fui um tanto indelicado. nada comparado de como eu posso ser agora, aprendi crueldades desde então. Não é que eu não queira ser seu amigo, mas não quero não. mas quando eu escrevi eu realmente não sabia como eu iria reagir se eu te, não quero reações negativas. E eu as tive. Não quero que haja climão, e como há. Ou que a gente se evite. E eu te evito.
Exagerei na tragédia das dores do amor. Mentira.
Não estou sofrendo tanto assim, mentira, sofria sim, e ontem foi um dia bem feliz. O dia tinha sido feliz mesmo.
Amores vem e vão.  
e vão, e vão, e vão, e vão. 
Da próxima vez, espero ter mais sorte, espero mesmo, e que você tenha também. E você teve e foi o meu hasard.
tirar você completamente da minha vida, eu não quis, mas a vida exige, não me iluda que não.
mas sei lá, isso sou eu, e eu acho que eu sou meio louco. e procuro a verdade no falso.

Eu não sei de você. Pelos outros, eu sempre sei um pouco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário